Carrefour disse ter recebido proposta de fusão com grupo Pão de Açúcar.




O presidente do conselho de administração do grupo Pão de Açúcar, Abílio Diniz, se pronunciou nesta terça-feira (28), por meio de nota, sobre a proposta de fusão com o Carrefour e disse que a operação, se aprovada, garantirá aos consumidores dos dois grandes varejistas "serviços ainda melhores a preços mais competitivos".
"Como todos sabem, estou sempre em busca de novas oportunidades de crescimento para o Pão de Açúcar, que já é, hoje, a maior empresa de varejo do Brasil e da América do Sul.
Nesse contexto, iniciei conversas com os principais acionistas do Carrefour, na tentativa de alinhar eventual negócio no Brasil, que acabou evoluindo para uma ideia de associação global."
O grupo francês Carrefour anunciou nesta terça-feira ter recebido uma proposta de fusão de ativos no Brasil com os da Companhia Brasileira de Distribuição (CBD), holding que detém as lojas do Pão de Açúcar, Compre Bem e Extra.

Segundo a nota divulgada pelo Carrefour, a proposta foi apresentada na segunda-feira (27) pela empresa brasileira Gama, que pertence ao fundo BTG Pactual, do investidor André Esteves, com o apoio financeiro do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).
Nota do Carrefour, segunda maior rede de varejo do mundo, informou que seu Conselho de Administração foi informado a respeito dos termos da proposta e que irá analisá-los nos próximos dias.
Se a operação for concretizada, a Gama se tornará um acionista de referência do Carrefour, número dois mundial do setor de distribuição com uma participação de 18% em seu capital.
A proposta surge depois que o Pão de Açúcar adquiriu nos últimos anos as redes de varejo Ponto Frio e Casas Bahia, operações que ainda não passaram pelo crivo do órgão de defesa da concorrência no país, o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). Ela também acontece após semanas de rumores sobre contatos do empresário Abílio Diniz, do Pão de Açúcar, com o Carrefour na França.
"A operação será, a princípio, muito benéfica para o Carrefour, cujos resultados no Brasil são decepcionantes e que em 2010 perdeu a liderança na distribuição de alimentos para a CBD", afirma uma nota de análise do agente da Bolsa Aurel.
"As sinergias e as reduções de custos potenciais, combinada com a força de venda do novo conjunto, devem melhorar a rentabilidade da nova entidade", acrescenta o texto.
Confira a nota na íntegra
"Como todos sabem, estou sempre em busca de novas oportunidades de crescimento para o Pão de Açúcar, que já é, hoje, a maior empresa de varejo do Brasil e da América do Sul.
Nesse contexto, iniciei conversas com os principais acionistas do Carrefour, na tentativa de alinhar eventual negócio no Brasil, que acabou evoluindo para uma idéia de associação global.
Recentemente um fundo de investimentos do BTG PACTUAL se interessou pela potencial operação, tendo enviado à companhia, na data de hoje, proposta para uma associação entre Pão de Açúcar e Carrefour envolvendo não apenas o mercado brasileiro, mas também o mundial, o que representaria um importante passo para a internacionalização da empresa. A proposta prevê investimento do BNDESPAR, que se interessou pelo negócio.
Se aprovada, a operação implicará uma mudança significativa na dimensão da companhia. O Grupo Pão de Açúcar fortalecerá e consolidará sua posição de liderança no setor de varejo brasileiro. No mercado internacional, com a participação a ser adquirida no Carrefour França, terá condições de levar os produtos brasileiros para todos os mercados estrangeiros onde o Carrefour já está presente, colocando o Brasil como um dos protagonistas do comércio varejista global.
Com a expansão de escala e os ganhos com sinergias, os consumidores de Pão de Açúcar e Carrefour terão serviços ainda melhores a preços mais competitivos. Seus acionistas, por sua vez, terão uma companhia maior, mais eficiente, mais lucrativa e com uma governança corporativa mais moderna. Enfim, seriam ganhos para a companhia, para seus empregados e acionistas, para os consumidores e para o Brasil.
Considero que são enormes os benefícios do negócio e vou analisar a proposta juntamente com meu sócio e co-controlador, o Grupo Casino. A decisão final será tomada seguindo os trâmites de praxe, previstos na lei e nos Acordos de Acionistas, em assembléia geral de acionistas, após o exame pelo Conselho de Administração da companhia."
 

Portal Araraquara Hoje

Criado com a intenção de unificar as notícias mais importantes de Araraquara, região, Brasil e mundo.Créditos da imagem: Núcleo de Artes Visuais de Araraquara